Aqui começa o menu de navegação

Ir para o conteúdo Ir para o mapa do site
Aqui começa o conteúdo

Pensamento computacional na escola básica na era da inteligência artificial, onde está o professor? – processo de reflexão num espaço cooperativo intercontinental e em língua portuguesa

Pensamento computacional na escola básica na era da inteligência artificial, onde está o professor? – processo de reflexão num espaço cooperativo intercontinental e em língua portuguesa

16/03/2021

Portugal

Educação

Projetos: GEOGEBRA/POR/MNE/19

A OEI, através do Escritório de Portugal, participou na abertura da 1ª sessão do processo de reflexão sobre o papel do professor na promoção do pensamento computacional na era da Inteligência Artificial, na Escola Básica.

A formação enquadra-se no projeto com o mesmo nome premiado no 1º Congresso de Inteligência Artificial da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), iniciativa da Professora Celina Abar do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação de Matemática da PUCSP e do professor José Manuel Dos Santos Dos Santos, do Instituto GeoGebra de Portugal, coordenador do projeto GeoGebra em curso a partir da OEI Portugal.

Participam neste processo professores de Angola, Brasil, Cabo Verde e Portugal, oriundos de Universidades, Escolas Superiores de Educação, escolas e dos Instituto GeoGebra.

O termo pensamento computacional traz uma nova abordagem na área da ciência cognitiva com a premissa de que a inserção dos conceitos da Ciência da Computação na educação permite o desenvolvimento de uma competência de abstração diferente, que ajuda as crianças na resolução de problemas em todas as áreas da vida, não apenas no uso de computadores ou para futuros cientistas da computação.

Com este processo, pretende-se oferecer a professores da escola básica uma formação no contexto do pensamento computacional e avaliar o impacto da compreensão destes professores sobre conceitos de tecnologias e algoritmos. Envolve professores de diversas áreas, desde ciências exatas até as artes, que trabalham com alunos na escolaridade básica, secundária ou superior em cada um dos 4 países.

Numa primeira fase, a atenção é direcionada para formadores de professores, com o objetivo de construir um espaço para o desenvolvimento do pensamento computacional, desenvolvendo textos que possam fundamentar o trabalho quotidiano do educador, que apelem a atividades a utilizar quer em contextos  presenciais quer em contextos de ensino à distância, usando dispositivos tecnológicos ou aplicações de código aberto para o desenvolvimento das competências educacionais relacionadas com o Pensamento Computacional.

A promoção da qualidade da Educação é uma prioridade da OEI, sendo esta obtida nomeadamente através de estratégias de formação/atualização de professores e de ferramentas inovadoras.

Rodapé
As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies. Mais informações