Aqui começa o menu de navegação

Ir para o conteúdo Ir para o mapa do site
Aqui começa o conteúdo

Relatório de Desenvolvimento Humano 2020: capacitar as pessoas reforça a equidade e a inovação

Relatório de Desenvolvimento Humano 2020: capacitar as pessoas reforça a equidade e a inovação

20/01/2021

Portugal

Educação em Direitos Humanos e Cidadania

Segundo o relatório, o caminho para a mudança passa também por capacitar as pessoas desencadeando a transformação, reforçando nomeadamente a equidade e a inovação, áreas centrais da ação da OEI.

Intitulado “A próxima fronteira: O desenvolvimento humano e o Antropocénico”, o relatório de Desenvolvimento Humano de 2020 defende que a entrada das pessoas e do planeta numa época geológica totalmente nova, no Antropoceno ou Idade dos Seres Humanos, é o momento de todos os países redesenharem os trilhos para o progresso, abordando as pressões que os humanos colocam sobre a Terra, desmantelando os desequilíbrios de poder e oportunidades que impedem a mudança, para “trabalhar com e não contra a natureza, enquanto se transformam normas sociais, valores e incentivos governamentais e financeiros.” 

O relatório aborda a questão a partir de uma ideia central, “Expandindo o desenvolvimento humano, atenuando as pressões planetárias”, aprofundada em três principais eixos: Renovando o desenvolvimento humano para o Antropoceno: i) Estamos a desestabilizar os sistemas planetários dos quais dependemos para sobreviver; ii) A pressão sobre o nosso planeta espelha a que existe nas sociedades; iii) Estes desequilíbrios reforçam-se mutuamente amplificando os desafios.

Mecanismos de mudança para catalisar a ação: i) Precisamos de uma transformação justa na nossa forma de viver, de trabalhar e cooperar; ii) Novas normas sociais, melhores incentivos e trabalho com - não contra - a natureza podem conduzir-nos até lá.

Explorando novas métricas: i) Uma nova era exige novas medidas para o desenvolvimento humano; ii) O relatório propõe o Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado às Pressões Planetárias e uma nova geração de painéis de indicadores e métricas.

Segundo as palavras de Achim Steiner, Administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o relatório "A próxima fronteira: o Desenvolvimento Humano e o Antropoceno" estabelece esta escolha, oferecendo uma reflexão estimulante, alternativa e necessária à paralisia face ao aumento da pobreza e desigualdades e das alarmantes alterações planetárias.Com o seu novo índice experimental  de Desenvolvimento Humano, ajustado às pressões planetárias, esperamos abrir uma nova discussão sobre o trajeto de cada país - um caminho ainda inexplorado. O caminho a seguir depois da Pandemia da Covid-19 será a viagem de uma geração. Esperamos que seja uma que todas as pessoas optem por viajar juntos.”

Segundo o relatório, o caminho para a mudança passa também por capacitar as pessoas desencadeando a transformação, reforçando nomeadamente a equidade e a inovação, áreas centrais da ação da OEI.

Rodapé