Menu de navegação

Ir para o conteúdo Ir para o mapa do site
Conteúdo da página

Projetos

Colômbia acolhe o 2º piloto das Escolas Ubuntu LATAM

Colômbia acolhe o 2º piloto das Escolas Ubuntu LATAM

16 de novembro de 2022

Portugal

Educação

O 2º piloto do projeto Escolas Ubuntu na América Latina, iniciativa das Academias Ubuntu LATAM com apoio da OEI, teve a participação de 124 estudantes e 45 formadores. O projeto decorreu em Cúcuta, Norte de Santander, na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela, e envolveu as primeiras 4 Escolas Ubuntu do país.

Num primeiro momento foi assegurada a formação teórico-conceptual, teórico-prática e prática dos formadores. Num segundo momento, foi desenvolvida a formação nas 4 escolas parceiras: Scalabrini - Camilo Daza, San Andrés III - Camilo Daza, Julio Perez Ferrero e Jaime Prieto Amaya.

A iniciativa decorre de uma parceria entre a OEI e o IPAV e contou ainda com o apoio da Universidad Libre da Colômbia.

A iniciativa  Escolas Ubuntu envolve a formação teórico-conceptual, teórico-prática e prática (9 dias), destinada a educadores de formadores (professores, psicólogos e outros técnicos escolares) das Escolas aderentes, que trabalhem preferencialmente com jovens de 14 a 18 anos e estejam disponíveis para replicar nessas escolas as Academias de Líderes Ubuntu. O programa de formação é estruturado em torno dos 5 pilares UBUNTU – Autoconhecimento; Autoconfiança; Resiliência; Empatia; Serviço - e visa desenvolver e promover competências pessoais, sociais e cívicas dos participantes, contribuindo para a sua transformação em agentes de mudança na Escola e na comunidade.

Em Portugal, a iniciativa Escolas Ubuntu decorre há alguns anos e foi integrada pelo Ministério da Educação no Programa para competências sociais e emocionais, no âmbito do Plano 21|23 Escola+, fazendo parte de um conjunto de medidas que procura dar resposta à necessidade de recuperação de aprendizagens e garantir que ninguém fica para trás.

A iniciativa enquadra-se na intervenção da Academia de Líderes Ubuntu (ALU), um programa de capacitação não-formal, desenvolvido a partir do modelo de liderança servidora e baseado na valorização da interdependência e da solidariedade. A ALU foi reconhecida pela OCDE e pela Comissão Europeia como uma das melhores iniciativas de empreendedorismo social e inclusivo, conforme informação aqui.

O primeiro piloto deste projeto decorreu no Brasil, em agosto deste ano, e envolveu 39 estudantes e 17 professoras e professores de seis escolas públicas da cidade de Mogi das Cruzes em São Paulo.

Rodapé
A OEI utiliza cookies próprios e de terceiros para fins funcionais e analíticos.

Clique no botão Aceitar para confirmar que você leu nossa Política de cookies e aceita todas as cookies. Para gerenciar as cookies, clique em Configurar. Para desativar todas as cookies, clique em Recusar.