Menu de navegação

Ir para o conteúdo Ir para o mapa do site
Conteúdo da página

Institucional/OEI

Mariano Jabonero é reeleito como Secretário-Geral da OEI durante a XIV Assembleia Geral em Santo Domingo

Mariano Jabonero é reeleito como Secretário-Geral da OEI durante a XIV Assembleia Geral em Santo Domingo

25 de novembro de 2022

Secretaria-Geral | Argentina | Bolívia | Brasil | Chile | Colômbia | Costa Rica | Cuba | Equador | El Salvador | Guatemala | Honduras | México | Nicarágua | Panamá | Paraguai | Peru | Portugal | República Dominicana | Uruguai

Educação | Ciência | Cultura

Em seu discurso de encerramento da Assembleia, o Secretário-Geral da OEI se comprometeu a trabalhar "por um futuro transformador e inovador para os próximos quatro anos".

A XIV Assembleia Geral da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), realizada hoje em Santo Domingo, decidiu reeleger o espanhol Mariano Jabonero, que está à frente da organização desde 2018, como Secretário-Geral para os próximos quatro anos.

Jabonero recebeu o voto de confiança da Assembleia, composta por representantes dos 23 países-membros ibero-americanos da organização. Neste sentido, durante a reunião institucional, foi apresentado o Relatório Institucional 2019-2022, que apresenta as principais realizações da gestão da OEI nos últimos quatro anos, sob a liderança de Jabonero, no qual a pandemia do coronavírus e a urgência da transformação digital da educação, ciência e cultura ibero-americana marcaram o ritmo da atividade cooperativa da organização. De acordo com o relatório, o volume da gestão desta atividade aumentou 50% e atingiu 20 milhões de beneficiários em toda a região.

"Vamos trabalhar para um futuro transformador e inovador. Esse será meu compromisso para os próximos quatro anos", disse Mariano Jabonero, quando sua reeleição como secretário-geral da OEI esta tarde, enquanto comemorava "o grande consenso" alcançado como "um bom exemplo a ter em mente em momentos em que as diferenças procuram impor-se sobre o muito que nos une".

O Secretário-Geral já reeleito agradeceu aos governos ibero-americanos por sua confiança em sua administração, bem como o reconhecimento da OEI como "um bem público regional" e anunciou as prioridades de seu novo mandato que, entre outros aspectos, incluirá continuar a promover a inclusão, a equidade e a digitalização da educação na Ibero-América e um forte esforço para impulsionar a qualidade das universidades da região.

No campo da ciência, concentrará os esforços da organização no apoio à disseminação da ciência e à consolidação do espanhol e do português como idiomas da ciência. No campo cultural, Jabonero salientou que continuará a promover políticas para o desenvolvimento das indústrias criativas e culturais como geradoras de riqueza na região - especialmente a produção audiovisual - e estratégias para colocar a Ibero-América na vanguarda em questões como direitos autorais e propriedade intelectual, em um mundo que consome cada vez mais a cultura digital.

Em seu discurso, Jabonero também se comprometeu a aumentar a presença de mensagens e notícias positivas sobre educação na mídia e nas redes sociais. "É hora de pôr um fim ao clichê de que tudo de bom que é feito na educação é produzido na Finlândia, Cingapura ou Coreia". Com o devido reconhecimento a esses países, iniciativas e experiências educacionais, culturais e científicas maravilhosas estão sendo produzidas em nossos países que merecem ser disseminadas dentro e fora da região", disse ele.

Toda uma vida se dedicando à educação

Mariano Jabonero nasceu em San Martín de Valdeiglesias (Madri) e é formado em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade Complutense de Madri. Em diferentes momentos, e com diferentes programas, ele trabalhou em todos os países ibero-americanos como consultor ou especialista da Unesco, PNUD, OEA e OEI.

Em 2018, foi eleito Secretário-Geral da OEI com o voto favorável de todos os governos representados na 13ª Assembleia Geral da organização, realizada na Cidade do México, e desde então tem concentrado sua atividade em favor de políticas educacionais que promovam a equidade e a inclusão social de jovens e adultos, tanto através de modalidades de educação presencial como à distância. Também defendeu o reconhecimento de Madri como uma "capital ibero-americana".

Recebeu inúmeros prêmios por sua dedicação à educação e cultura, incluindo a Ordem de Alfonso X El Sabio e a Medalha Honorária da Universidade de Alcalá de Henares. Em 2021 ele recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidad Nacional Abierta y a Distancia da Colômbia (UNAD).

Durante a XIV Assembleia Geral da OEI, a Argentina foi escolhida como o novo país que assumirá a presidência de seu Conselho Diretivo e será o anfitrião da próxima reunião ordinária da Assembleia Geral em 2026.

Rodapé
A OEI utiliza cookies próprios e de terceiros para fins funcionais e analíticos.

Clique no botão Aceitar para confirmar que você leu nossa Política de cookies e aceita todas as cookies. Para gerenciar as cookies, clique em Configurar. Para desativar todas as cookies, clique em Recusar.