Menu de navegação

Ir para o conteúdo Ir para o mapa do site
Conteúdo da página

Educação e Direitos Humanos

Programas

Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos OEI-Fundação SM "Óscar Arnulfo Romero"

EDIÇÕES ANTERIORES

Resultados das edições anteriores

Resultados das Edições Anteriores

Mais de mil projetos de toda a Ibero-América foram submetidos às três edições do Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos, realizadas até agora.

Ao longo das três edições do prêmio, o júri reconheceu instituições e projetos que defendiam a igualdade, trabalhavam pela convivência ou lutavam pela defesa dos direitos humanos.

PRIMEIRA EDIÇÃO

Em 2015, a OEI, seu Instituto Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos e a Fundação SM, promoveram a primeira edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos.

Dos mais de 300 projetos apresentados de 18 países da região, o júri do I Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos Óscar Arnulfo Romero declarou vencedor o projeto "Mulheres inspiradoras", do Centro de Ensino Fundamental 12 de Ceilândia, Brasil, e concedeu menções honrosas a projetos da Argentina, Costa Rica e Peru.

Vidéo projetos ganhadores I Edição:

SEGUNDA EDIÇÃO

A II edição do prêmio foi realizada em 2017 e recebeu 390 propostas de 19 países da região. Os temas dos projetos foram diversos: cinema, swing ou rap para promover a convivência e os direitos humanos; a recuperação das bibliotecas populares como espaços de memória coletiva e atividades de conscientização ambiental dos jovens. Ao contrário da primeira edição, na segunda, duas experiências foram premiadas em cada categoria.

Na categoria dedicada às instituições escolares de educação formal, o primeiro prêmio foi para o "Proyecto Socio Productivo (PSP): Enseñanza de los derechos humanos de la mujer", das Unidades Educacionais Caleria e Cohana, Bolívia, , que promovia a participação dos estudantes e o conhecimento dos direitos humanos, em particular os direitos das mulheres, para combater a discriminação. O segundo prêmio foi para a Escuela Normal Superior Juan Ladrilleros, na Colômbia,  e seu projeto de mediadores escolares para a resolução de conflitos.

Na categoria de organizações da sociedade civil e educação não-formal, o primeiro prêmio foi para o projeto "Implementación de eco-tecnologías"  de Infant Peru, dedicado a melhorar a qualidade de vida das crianças e adolescentes das comunidades ribeirinhas do distrito de Belén. Por sua vez, o Museu da Palavra e a imagem de El Salvador ganhou o segundo prêmio nesta categoria com o projeto "Relevos generacionales para la educación en Derechos Humanos",  que visava dar aos jovens as habilidades para defender seus direitos.

Vídeo projetos ganhadores nacionais II Edição:

TERCEIRA EDIÇÃO

Em 2019, foi lançada a III edição do prêmio, com a maior participação até agora: 592 inscritos. Neste ano, duas experiências foram premiadas em cada categoria, e quatro projetos foram reconhecidos com menções honrosas nas duas categorias.

O Centro Educativo Liceu Técnico de Valparaíso, do Chile, foi o vencedor na categoria de escolas para o projeto Inclusión para la equidad social  que ao incorporar a abordagem de gênero transversal na educação, transformou o projeto educacional institucional da escola destacando o valor da comunidade LGBTI. O projeto Radio, televisión y prensa escolar  da Escuela Primaria Lic. José María Pino Suárez, México, foi reconhecido por incentivar extraordinariamente a participação das crianças como construtores de seus conhecimentos e responsáveis por sua divulgação. Nesta categoria, menções honrosas foram concedidas a projetos do Equador, Uruguai, Colômbia e da República Dominicana.

As organizações da sociedade civil e da educação não formal reconhecidas nesta edição foram o Instituto Internacional de Aprendizaje para la Reconciliación Social, da Guatemala, com o projeto: Jóvenes dialogando sobre los retos para construir la paz en la Exposición ¿Por qué estamos como estamos?” e o “Proyecto “Nacer Inc”, de Porto Rico, pelo projeto “Defendiendo lo que somos, que trabalhava com mães e pais adolescentes para favorecer o pleno exercício da autoridade parental sobre seus filhos. Nesta categoria, as menções honrosas foram concedidas a projetos do México, Argentina, Bolívia e El Salvador.

 

Vídeo seminàrio e projetos ganhadores Ibero-americanos III Edição

Rodapé
As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies.